Fonte: G1 / Reprodução: Blog do Marcelo

Dois homens e uma criança de um ano e seis meses foram mortos e um menino, de 3 anos, baleado de raspão em um ataque feito por homens armados ainda não identificados, nesta segunda-feira, no Bairro de Jacutinga, em Mesquita, na Baixada Fluminense. O pequeno Mário Neto Ferreira Lourenço cortava cabelo em um salão quando foi atingido por uma bala perdida.

Ele ainda chegou a ser levado com vida para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, mas não resistiu aos ferimentos. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense(DHBF). De acordo com o site G1, Mário é a quarta criança morta após ser atingida por bala perdida, na Região Metropolitana do Rio, em 2021. Nas redes sociais, o pai do menino morto fez um desabafo emocionado sobre a morte da criança “Hoje foi meu filho. Perdeu a vida cortando cabelo no salão, vítima da violência do Estado do Rio de Janeiro. Até quando vamos perder entes queridos? Um ano e seis meses. Meu príncipe. Senhor, misericórdia! Muita dor na minha alma”, escreveu o pai do menino em um trecho da postagem.

De acordo com a Polícia Militar, a ação dos criminosos ocorreu na Rua Maurício Borges. No mesmo ataque que tirou a vida de Mário também morreram Juan Batista de Souza, de 24, e Renan Felipe Batista Nunes. Um menino de 3 anos, foi atingido de raspão no tornozelo. Ele foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu onde foi medicado. Abaixo, a íntegra da nota da PM.

“A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informa que, na tarde desta segunda-feira (25/10), equipes do 20° BPM (Mesquita) foram acionadas para checar uma ocorrência envolvendo disparos de arma de fogo na Rua Maurício Borges, no Bairro da Jacutinga. Chegando ao local, os policiais foram informados de que quatro pessoas foram atingidas e socorridas ao Hospital Geral de Nova Iguaçu. Dentre as vítimas, um homem, um adolescente e uma criança, não resistiram aos ferimentos. Uma segunda criança sobreviveu. Até o momento, a autoria e a motivação da ação são desconhecidas. A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) foi acionada para investigar o caso.”